Avião cai em Minas e mata dois executivos da Bradesco Seguros

11 de novembro de 2015


aviao_Bradesco

Aeronave de pequeno porte, com quatro pessoas a bordo, havia saído de Brasília em direção a São Paulo. Não há sobreviventes.

Agência O Globo

Um avião Cessna Citation pertencente ao Bradesco, com quatro pessoas a bordo, caiu no início da noite desta terça-feira em área rural do município de Guarda-Mor, em Minas Gerais, próximo à divisa com Santo Antônio do Rio Verde, em Goiás. Segundo o Corpo de Bombeiros de Catalão, em Goiás, município mais próximo ao acidente, não há sobreviventes. No avião estavam o presidente da Bradesco Seguros, Marco Antônio Rossi, e o presidente da Bradesco Vida e Previdência, Lucio Flávio Conduru de Oliveira. Os nomes do piloto e co-piloto ainda não foram divulgados.

Fotografias divulgadas nas redes sociais mostram um rastro de fogo provocado pela queda do avião. Os bombeiros disseram que o acidente abriu uma cratera de 5 metros de profundidade e cerca de 12 metros de diâmetro. Por conta da violência do impacto, segundo eles, não era possível identificar sequer quantas pessoas estavam na aeronave.

Segundo a Força Aérea Brasileira, o jatinho desapareceu dos radares do controle aéreo às 19h04m. O Cessna tinha decolado de Brasília às 18h39m, com destino ao aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

Segundo testemunhas, após a queda, a aeronave pegou fogo.

— Alguns peões da propriedade estiveram no local e acreditam que não há sobreviventes — disse ao site G1 o sargento Marcelo Mesquita Goulart.

A auxiliar de serviços gerais Luciana Pereira de Jesus, que trabalha na fazenda, disse que ouviu o barulho da queda a cerca de dez quilômetros da sede.

— Foi como o barulho de um trovão. Os vizinhos de outras fazendas disseram que viram uma tira de fogo no ar. Alguns funcionários que estão lá avisaram que tem pedaços da aeronave espalhados por todo lado — afirma.

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades