Bolsa-família torra R$ 14 bilhões em seis meses

11 de agosto de 2015


Bolsa_Familia

No governo Dilma, valor médio do bolsa-família subiu mais de 77%, enquanto o salário mínimo cresceu 44%.

Por Claudio Humberto/Diário do Poder/Brasilia

Em meio a mais grave crise do milênio no Brasil, com inflação em alta e o “PIBinho”, o governo Dilma já torrou R$ 13,95 bilhões desde o começo do ano e bateu o próprio recorde de gastos com Bolsa-Família em apenas um semestre. Mantendo o ritmo de gastos de R$ 2,3 bilhões por mês e sem contrapartida de beneficiários, o bolsa-família não sofreu cortes, ao contrário de áreas como educação, saúde e habitação.

O corte na verba do Programa de Aceleração do Crescimento foi de 39% (R$ 25,7 bilhões). O bolsa-família gastará mais que isso este ano.

Quatro dos cinco primeiros na lista de estados que mais levaram grana do Bolsa-Família são do Nordeste. A região recebeu 60% do valor total.Desde a eleição da presidente Dilma, em 2011, o valor médio recebido por família subiu mais de 77%, enquanto o salário mínimo cresceu 44%.

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades