Conselho regional de medicina em pernambuco, o CREMEPE verifica irregularidades em unidades de saúde de região do Araripe.

26 de março de 2015


Por Genival Sousa

Uma fiscalização realizada, na última semana, por representantes do Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) no Sertão do Araripe, em Pernambuco, verificou que cinco unidades de saúde da região apresentam falta de resolutividade – um conceito que avalia resultados obtidos do atendimento ao paciente.

 O problema é que todos os casos complicados das unidades estão sendo encaminhados para o Hospital Regional Fernando Bezerra (em Ouricuri, também no Sertão do Araripe), que acaba ficando superlotado, com profissionais sobrecarregados. As unidades de saúde vistoriadas ficam nas cidades de Exu, Granito, Bodocó, Trindade e Ipubi. O objetivo foi verificar o atendimento médico nos hospitais e os vínculos de trabalho. Além disso, o grupo de fiscalização do Cremepe verificou que, em todas as unidades, a lavanderia está defasada – os profissionais, inclusive, fazem a higienização das peças sem equipamentos de proteção. E sobre a questão trabalhistas, todos os vínculos são precários: não há concurso, e os médicos não contam com nenhum direito trabalhista (férias e 13º salário, por exemplo). A partir dessa fiscalização, o Cremepe produzirá um relatório que será encaminhado aos gestores. “Nesse sentido, a entidade pretende ter um diálogo com a gestão do hospital e gestores de cada município, a fim de pontuar os déficits, diminuir a sobrecarga no Hospital Regional Fernando Bezerra e melhorar o atendimento da região”, explica o presidente do Cremepe, Sílvio Rodrigues. Destaques da fiscalização nas cidades: Exu – No Hospital Municipal José Pinto Saraiva, há falta de medicamentos. Diariamente, é enviada uma lista de medicamentos e insumos para a farmácia do Estado. Granito – No Hospital Maria Senhorinha de Souza, a escala de plantão está completa, mas os profissionais não chegam no horário da rendição. Quando chega alguma gestante para dar à luz, é feita transferência para o Hospital Regional Fernando Bezerra (em Ouricuri), exceto às quartas-feiras, dia em que a parteira está de plantão. Outro problema sério encontrado foi a ausência de carrinho de parada e adrenalina. Trindade – O Hospital Municipal Maria Veneri fornece atendimento para cerca de 30 mil habitantes da cidade e conta com a escala completa de médicos todos os dias, mas apenas um é concursado; os outros vínculos são precários. E profissionais da lavanderia trabalham sem equipamento de proteção. Ipubi – O Hospital Municipal Marcelino da Silva Mudo tem estrutura física satisfatória, mas precisa adaptar a lavanderia, que ainda funciona com equipamentos domésticos. Bodocó – O Hospital Eulina Silva Lócio de Alencar atende clínica médica, obstetrícia e pediatria. O setor materno-infantil é bem equipado e realiza parto humanizado. Também há incubadora para os recém-nascidos. O hospital possui três ambulâncias. Pacientes em estado grave têm primeiramente condição de saúde estabilizada para depois ser encaminhados para Ouricuri.

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades