CPI ‘esquece’ fundos com passivos bilionários

11/01/201610h:25 por

Comissão foca apenas no Postalis e esquece Previ, Petros e Funcef

gerson almada- cpi fundos de pensao - Lucio Bernardo Jr_ - Câmara dos Deputados-22-9-15

COMISSÃO FOCA APENAS NO POSTALIS E ESQUECE PREVI, PETROS E FUNCEF. FOTO: LUCIO BERNARDO JR/CÂMARA

Do Diário do Poder

A revelação das negociatas de gatunos do Petrolão com o Previ (BB), Petros (Petrobras) e Funcef (Caixa), todos controlados 100% pelo PT, reforça a suspeita de que a CPI dos Fundos de Pensão desvia o foco de quem deveria ser bem mais investigado. Metade das audiências da comissão (46%) se dedicaram ao fundo dos Correios, como se não houvesse mais nada a fazer, convertendo-se em “CPI do Postalis”. E reservando apenas 2 das 33 sessões ao biliardário Previ, por exemplo.

Os três fundos praticamente esquecidos pela CPI (Previ, Petros e Funcef) acumulam passivo dez vezes superior ao passivo do Postalis.

Além da onipresente Odebrecht, fundos controlados pelo PT fizeram negócios com Engevix, Andrade Gutierrez, OAS e Camargo Correia.

A suspeita no PMDB é que a Previc, órgão que fiscaliza os fundos, aparelhada pelo PT, comanda o lobby do “esquecimento” na CPI.

Por trás da CPI estaria Eduardo Cunha, na guerra a Renan Calheiros e Edison Lobão, senadores que indicaram diretores para o Postalis. Leia mais na Coluna Cláudio Humberto