Drone é usado para achar imóveis com criadouros de dengue em Ipubi

26 de maio de 2015


Equipamento ajuda a fazer o controle da doença no município do Sertão. Foram capturadas imagens dos bairros da cidade que serão impressas.

Do G1 Petrolina

Drone é usado para mapeamento da cidade de Ipubi (Foto: Álison Édypo Alencar / Arquivo pessoal)

No Sertão de Pernambuco, a cidade de Ipubi avançou no combate ao mosquito Aedes aegypti, com a utilização de um drone para o mapeamento de todo o município, cuja área é de 972,17 km². Com o equipamento foram capturadas imagens dos cinco bairros da cidade com o objetivo de sinalizar imóveis que possuem possíveis criadouros do mosquito, como piscinas e caixas d’água descobertas.

De acordo com o coordenador de vigilância em Saúde de Ipubi, Flávio Filho, o equipamento vai ajudar a fazer o controle da doença no município. “Contratamos uma empresa terceirizada para fazer o mapeamento com o drone, um trabalho que durou uma semana. Tiveram algumas áreas que o técnico manuseava o aparelho com o controle remoto e o agente de endemias já via ao vivo, se tinha alguma irregularidade e tomava as devidas providências”, explica.

Técnico faz o manuseio do drone e agente de endemias pode visulizar possíveis criadoros do mosquito da dengue (Foto: Álison Édypo Alencar / Arquivo pessoal)

O investimento para a etapa de mapeamento foi de R$1.200, o próximo passo será a impressão das imagens que foram registradas pelo aparelho. “Toda a cidade foi feita a captura e as fotos vão ser impressas, para casa por casa, sejam feitas as recomendações pelos agentes. É uma tecnologia avançada e que ajuda muito, porque existem alguns lugares que os agentes passavam despercebido e o drone captura esses pontos e encontramos os focos. Com isso, acreditamos que haverá uma  grande diminuição dos casos de dengue na cidade”, esclarece Filho.

A cidade de Ipubi, que possui quase 30 mil habitantes, teve este ano 100 casos notificados de dengue e 5 confirmados. “Ano passado não houve nenhum caso confirmado. O que preocupou mais a gente, é que temos mais de 100 casos notificados e cinco confirmados em 2015. Mas isso pode ser maior, por que não estamos recebendo os resultados dos exames enviados para IX Geres, por conta de um problema que eles tiveram com o laboratório que é terceirizado”, conta Filho.

Além do mapeamento do drone, a cidade conta com o trabalho de 13 agentes de endemias e dois supervisores de campo.

Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que a sorologia da dengue é feita, normalmente, pelo município de Serra Talhada, conforme pactuado com os municípios da região. No entanto, segundo a secretaria, Serra Talhada não está dando conta da demanda, enviada para o Laboratório Central de Pernambuco (Lacen-PE). Assim, todos os exames estão sendo realizados e entregues ao município de origem.

 

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades