Mais de 800 mil pés de maconha foram erradicados no Sertão em 2015

14 de dezembro de 2015


foto: Polícia Federal-Divulgação

foto: Polícia Federal-Divulgação

Polícia Federal divulgou o balanço das operações realizadas este ano.
268 toneladas da droga deixaram de ser produzidas em PE em 2015.

Do G1 Petrolina

A Polícia Federal (PF), divulgou neste domingo (13), o resultado final da ‘Operação Expurgo IV’, deflagrada no dia 27 de novembro e concluída no dia 6 de dezembro, nas cidades de Orocó, Cabrobó, Santa Maria da Boa Vista, Belém do São Francisco, Afrânio, Dormentes, além de Ilhas do São Francisco. A ação foi realizada com o intuito de erradicar o plantio de maconha na região, como forma de reduzir a produção e a oferta do entorpecente no Sertão.

A operação contou com o apoio de 40 policiais federais e militares do Corpo de Bombeiros. Foram realizadas incursões terrestres, aéreas e fluviais. A PF utilizou uma aeronave para auxiliar os trabalhos, além de botes infláveis para percorrer as ilhotas do Rio São Francisco. Na ‘Operação Expurgo IV’ foram erradicados 19 mil pés de maconha. Deixaram de ser produzidos 6,3 toneladas da droga, foram destruídos 13 plantios, oito mil mudas e 1 kg da droga pronta para consumo foi apreendida.

Segundo o chefe de Comunicação Social da PF, Giovani Santoro, durante a última fase, foram percebidos fatores sobre a redução do plantio da droga no Sertão. “Houve uma queda muito grande entre a quantidade de maconha erradicada nas primeiras operações, com essa última. Atribuímos isso a vários fatores, entre eles um treinamento realizado pela Coordenação de Aviação Operacional da Polícia Federal há um mês, onde foram erradicados mais de 100 mil pés de maconha. A falta de chuva e o número de operação realizadas por ano também contribuíram. Como as ações são feitas de formas consecutivas, as vezes eles colhiam antes do tempo e a maconha era de péssima qualidade. Ruim para o mercado”, disse.

Mas, apesar da falta de chuva, a PF acredita que houve uma mudança de comportamento na região. “Mesmo não chovendo, operações foram realizadas nas ilhotas, que são banhadas pelas águas do Rio São Francisco e não foi visto e não foi mais registrado o mesmo número de plantações de maconha. A seca, neste caso, não pode ser usada como justificativa porque as plantações poderiam ser irrigadas com a água do rio”, detalha Giovani.

Outra questão levantada pela polícia, é de que o número de operações realizadas no ano, foi fundamental. “Os plantadores de maconha estão migrando para a agricultura de subsistência. Vimos plantações de outras culturas como cebola, feijão, batata. Então, não observamos reincidência. Além disso, parte da droga apreendida em Pernambuco, vem do Paraguai. O que comprova que a droga não está sendo produzida aqui” explica.

todas as operações, foram erradicados 806 mil pés de maconha, 268 toneladas da droga deixaram de ser produzidas. Foram destruídos 268 plantios e 361 mil mudas. Ainda foi apreendido 546 quilos da maconha pronta para consumo.

A Polícia Federal realizada entre três a quatro operações de erradicação de maconha por ano, o que contribui para diminuir a quantidade da droga circulando pela região. O ciclo produtivo da maconha é acompanhado de perto pelos policiais. Perto do período da colheita, novas ações são realizadas. As operações impedem que os traficantes consigam produzir a droga e consequentemente, há a importação da droga do Paraguai.

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades