Na Alepe, Aluísio Lessa pede que policiais rodoviários protestem contra Dilma nesta sexta

21 de agosto de 2015


posto-da-prf-salgueiro11

A unidade de Salgueiro no sertão do estado, foi uma das que foram fechadas no governo Dilma.

Por Jamildo Mello

Nesta quinta (20), em Grande Expediente Especial, convocado pelo deputado Eduíno Brito (PHS) – policial rodoviário federal licenciado, a Assembleia Legislativa debateu as condições da PRF. O aumento do efetivo foi a principal reivindicação do grupo, que buscou ainda a reativação de seis postos policiais, fechados nos últimos quatro anos. Os dois mil e trezentos quilômetros de estradas federais em Pernambuco contam, hoje, com a atuação de 430 policiais rodoviários. O número é metade do ideal, de acordo com a categoria.

Ao lembrar que a presidente Dilma Rousseff estará em Recife nesta sexta-feira, no Recife, o deputado Aluísio Lessa (PSB) propôs que os policiais rodoviários federais reivindiquem a ela mais atenção à corporação.

“As faixas que estão aqui, e outras que ainda podem ser produzidas, cabem muito bem nessa visita presidencial. É hora de cobrar. Essa é uma das mazelas promovidas pelo Governo do PT”, opinou.

Ao abrir o debate, o primeiro vice-presidente da Assembleia, deputado Augusto César (PTB), apontou a desativação dos postos da Polícia Rodoviária Federal (PRF) como “prejudicial” para a população.

As unidades fechadas estão localizadas em Moreno (Região Metropolitana), Carpina (Mata Norte), Salgueiro (Sertão Central), Serra da Santa (Sertão do São Francisco) e em Ribeirão e Quipapá – ambos da Mata Sul. Atualmente, o Estado conta com 16 postos. “Isso torna menor o raio de ação dessa importante corporação”, disse.

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades