Operação Paradise: 18 obras financiadas pelo Ministério da Educação foram fraudadas desde 2013

8 de maio de 2015


 

Foto: Blog do Paulo

Foto: Blog do Paulo

A Polícia Federal e a Controladoria Geral da União deflagraram ontem, dia 7, a Operação Paradise em Araripina, Pernambuco para o cumprimento de 23 mandatos de busca e apreensão e 12 mandatos de prisão temporária.

A Operação Paradise vai investigar uma quadrilha que se instalou dentro da Prefeitura de Araripina e segundo dados preliminares da PF desviou cerca de R$ 8,8 milhões em obras financiadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE do Ministério da Educação. As investigações começaram em julho de 2013 e atestaram desde 2012 irregularidades em 18 obras de quadras, escolas e creches que estão em construção no município como a quadra da escola Luzanira Ramos, creche da Vila Serrania e do distrito de Lagoa do Barro, as escolas da Serra do Cavaco, Batinga e Cipaúba.

De acordo com o Superintendente da Polícia Federal em Pernambuco, Marcelo Diniz, a quadrilha fraudava os relatórios inserindo fotos falsas de obras de outras cidades como se fossem de Araripina. Com isto os recursos do FNDE eram repassados para a Secretaria de Educação para continuação das obras. A investigação também apontou que estas obras eram executadas por empreiteiras que tinham no seu quadro societário pessoas com proximidade com a administração municipal.

Durante a Operação Paraíso foram detidos 14 pessoas e levadas para a Superintendência da Polícia Federal em Salgueiro para serem ouvidas. Dentre os detidos estão dois irmãos do prefeito de Araripina, Alexandre Arraes (PSB), as secretárias de educação e de finanças e outros agentes públicos envolvidos nas fraudes. Foram cumpridos mandatos de busca e apreensão na sede da Prefeitura, especialmente no setor de tesouraria e nas secretarias de educação e infraestrutura.

O Superintendente da PF Marcelo Diniz afirmou que o próximo passo da Operação será a análise dos documentos apreendidos. “Todo o material apreendido [computadores e arquivos físicos] será analisado junto com a Controladoria Geral da União e após a conclusão das investigações os envolvidos que tiverem responsabilidade criminal caracterizadas serão indiciados pela Justiça Federal pelos crimes que cometeram”, afirmou.

A Polícia Federal divulgou na tarde de ontem, 07, um vídeo com as principais apreensões de documentos. Confira no link tvuol.uol.com.br/video/policia-federal-faz-operacao-em-araripina-0402CC98366AD8A15326

Sistema Grande Serra de Comunicação

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades