PGR se posiciona contra indiciamento de Pimentel na Polícia Federal

12/01/201610h:23 por

Parecer de Ela Wiecko é contra indiciamento pretendido pela PF

FERNANDO PIMENTEL BY BEN HIDER

A OPERAÇÃO ACRÔNIMO ATORMENTOU PIMENTEL DURANTE TODO O ANO DE 2015. (FOTO: BEN HIDER)

Do Diáro do Poder

A Procuradoria Geral da República se posicionou contra o indiciamento do governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), solicitado pela Polícia Federal em um inquérito da Operação Acrônimo, no Superior Tribunal de Justiça. Em parecer datado de 11 de dezembro ao STJ, que tem prerrogativa de processar governadores, a vice-procuradora-geral da República, Ela Wiecko, responsável pelo caso, afirmou que a PF não tem competência para fazer o indiciamento de autoridades com a chamada “prerrogativa de foro”, julgadas em tribunais superiores.

A decisão final caberá ao ministro relator Herman Benjamin. Após o recesso do Judiciário, em fevereiro, ele retomará a análise do inquérito, que também investiga outras pessoas, incluindo a primeira-dama de Minas, Carolina de Oliveira.

Em 2015, Pimentel foi alvo da Operação Acrônimo, da Polícia Federal, que apura um suposto esquema de lavagem de dinheiro e sobrepreço em contratos com o governo federal para alimentar campanhas eleitorais. O inquérito tramita sob segredo de Justiça.

Em seu parecer, a vice-procuradora ainda afirma que cabe ao próprio MP decidir o momento oportuno para realizar o depoimento do governador.