Secretário diz que reposição após greve será concluída até julho em PE

9 de junho de 2015


Professores fizeram duas paralisações, de 24 e 11 dias, respectivamente.
Categoria aceitou a proposta do Governo do Estado, de 7,01% de aumento.

Do G1 PE

Untitled

Após as duas greves dos professores da rede estadual de ensino, em Pernambuco, as aulas das escolas estaduais foram retomadas nesta terça-feira (9). A preocupação agora é com a reposição da carga horária perdida. De acordo com o secretário de Educação, Frederico Amâncio, o calendário de reposição já foi montado. “Estaremos trabalhando em uma parte do recesso e, eventualmente, com algumas aulas aos sábados. Na maior parte das escolas, até o mês de julho, as aulas vão estar 100% repostas”, explicou.

O calendário de reposição varia de escola para escola. A orientação da Secretaria de Educação é de que os pais procurem as instituições para verificar as datas de reposição.

A decisão de encerrar a última paralisação da categoria foi tomada em assembleia na segunda (8). Juntas, as duas greves totalizam 35 dias de paralisação nas escolas. Os professores reivindicavam reajuste salarial de 13,01% — conforme estabelece a Lei do Piso Salarial do Magistério em 2015 –, mas aceitaram a proposta de 7,01%, oferecida pelo Governo do Estado.

A Secretaria de Educação do Estado informou que 85,1% das escolas, o que corresponde a 891 unidades, não tiveram as aulas paralisadas e funcionaram normalmente durante a greve. Já 154 escolas pararam parcialmente e apenas duas instituições aderiram totalmente à paralisação. A rede estadual de ensino possui, ao todo, 650 mil alunos e quase 50 mil professores.

Acordo
Para os docentes, o Governo de Pernambuco ofereceu inicialmente o pagamento do aumento de forma progressiva, nos meses de junho, outubro e dezembro. No entanto, após rodada de negociação na segunda (8), entre representantes do Sindicato dos Trabalhadores de Educação em Pernambuco (Sintepe) e a Secretaria de Administração, o governo fez a proposta de antecipar o pagamento da 2ª parcela para agosto e da 3ª para outubro. O item foi aceito pela assembleia, pondo fim à paralisação.

De acordo com a assessoria de imprensa do Sintepe, entre outros itens acordados, estão o aumento do vale-refeição da categoria, que passa de R$ 7 para R$ 11,20 já a partir do mês de agosto; o lançamento de concurso público com 3.000 vagas para a educação; além da manutenção da gratificação de R$ 2.032 para profissionais que trabalham em unidades escolares do sistema penitenciário.

Mobilização
A segunda etapa da greve dos docentes durou 11 dias. A campanha salarial teve início em 13 de março. Em 10 de abril, os professores deflagraram greve. A paralisação durou 24 dias e foi suspensa em 4 de maio, quando a negociação com o governo estadual foi retomada. Em 21 de maio, os profissionais da educação voltaram a se reunir em assembleia e decidiram iniciar uma nova greve em 29 de maio, que chegou ao fim nesta sexta.

Durante a mobilização, os professores descumpriram determinação do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) que obrigava a volta imediata ao trabalho. Com isso, o Sintepe recebeu uma multa que passa de R$ 1,5 milhão. Conforme a assessoria do sindicato, representantes da categoria terão nova reunião com o governo, ainda esta semana, para discutir a situação.

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades