Zika vírus: Pernambuco confirma quatro casos

22 de junho de 2015


do Casa Sauável

A Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES) confirma os primeiros casos de zika vírus no Estado. A comprovação foi dada pelo Instituto Evandro Chagas (IEC), laboratório de referência nacional, localizado em Belém, no Pará. De 11 exames, quatro deram positivo para a enfermidade e sete foram descartados. Ainda há 36 amostras em análise no laboratório IEC.

dengueee-e1425492449763

O zika vírus é transmitido pelo mesmo mosquito da dengue. Isso torna ainda mais importante as ações de controle do Aedes aegypti (Foto: Free Images)

“Como ainda não há um protocolo nacional específico para vigilância e tratamento do zika vírus no Brasil, a nossa recomendação para os profissionais médicos é continuar notificando os casos suspeitos como dengue e fazer o tratamento do paciente como determina o manejo clínico dessa doença, lembrando também da necessidade de hidratação”, diz o diretor geral de Controle de Doenças e Agravos da SES, George Dimech.

Leia mais

>> Virose deve ser notificada como dengue, recomenda Governo de Pernambuco

>> Infectologista explica dengue, febre chikungunya e zika vírus

“Isso é importante porque zika e dengue possuem a mesma sintomatologia e o mesmo tratamento. A diferença é que, entre elas, a dengue é a única que mata. Por isso, a necessidade de sempre suspeitar dessa enfermidade”, acrescenta George Dimech.

No Brasil, ainda não há sorologia disponível comercialmente para a realização em massa dos testes de zika vírus. Atualmente, o Ministério da Saúde (MS) está estudando como será o protocolo e como fazer a disseminação do teste comprobatório para os Estados.

“O zika vírus é transmitido pelo mesmo mosquito da dengue. Isso torna ainda mais importante as ações de controle do Aedes aegypti tanto pelos municípios quanto pela população. Qualquer recipiente com água parada, seja uma tampa de garrafa ou uma caixa d’água, pode se transformar em um criadouro. Precisamos ficar vigilantes para eliminar esses possíveis focos, principalmente nas residências, responsáveis por cerca de 90% desses depósitos. Só assim conseguiremos diminuir o número de casos de dengue e evitar a nova enfermidade”, afirma George Dimech.

Casos em Pernambuco

As confirmações de zika vírus foram nos municípios de Jaboatão dos Guararapes (mulher de 24 anos), Olinda (homem de 19 anos e homem de 61 anos) e Recife (criança do sexo feminino de 13 anos). Todas as notificações ocorreram na primeira quinzena do mês de março. Os pacientes tiveram manchas vermelhas pelo corpo, febre, coceira e dor nos olhos, articulações e no corpo, sintomas também característicos dos casos de dengue.

Saiba mais

Doença viral aguda transmitida pelo mosquito Aedes aegypti e caracterizada pelo aparecimento de manchas avermelhadas pela pele, febre, dores articulares ou musculares, dor de cabeça, coceira. Os sintomas desaparecem entre o terceiro e o sétimo dia. Geralmente não há complicações graves e não há registro de mortes. A taxa de hospitalização é baixa. De acordo com o Ministério da Saúde, na literatura, 80% dos casos das pessoas infectadas não desenvolvem manifestações clínicas.

No Brasil, já há confirmações de Zika vírus na Bahia, Rio Grande do Norte, Maranhão, Alagoas, Roraima, Pará, Rio de Janeiro e São Paulo. Todos os casos foram comprovados pelo Instituto Evandro Chagas.

No mundo, atualmente, há registro de circulação esporádica na África (Nigéria, Tanzânia, Egito, África Central, Serra Leoa, Gabão, Senegal, Costa do Marfim, Camarões, Etiópia, Quénia, Somália e Burkina Faso) e Ásia (Malásia, Índia, Paquistão, Filipinas, Tailândia, Vietnã, Camboja, Índia, Indonésia) e Oceania (Micronésia, Polinésia Francesa, Nova Caledônia/França e Ilhas Cook). Casos importados foram descritos no Canadá, Alemanha, Itália, Japão, Estados Unidos, Austrália e Ilha de Páscoa.

COMENTÁRIOS

Facebook

Receba Novidades